Curitiba, 21 de janeiro de 2019

Enduro

2 Etapa do Campeonato Paranaense de Enduro Equestre

Chácara Trilha dos Sonhos, Colônia Witmarsum – Palmeira – PR
Data: 08 de Dezembro de 2018




E chegou a sexta-feira e com ela novamente os enduristas reunidos: todos conversando em um ambiente alegre e desfrutando a alegria do reencontro!
E para coroar este momento, no final do dia, um saboroso churrasco! Um grande momento de confraternização para receber nossos amigos de São Paulo (Haras Albar, Le Domaine, Dona Carolina, Felizardo e Silvia, faltaram os amigos Sr. Jonas e família Bagarolli, que sempre nos prestigiam), de Santa Catarina (Rogério e Leslie), do Rio de Janeiro (José Geraldo que no último momento não pode vir, mas enviou o cavalo) e do Rio Grande do Sul (Adriana).
Após este momento da festa do reencontro, um breve briefing para explicar as trilhas, o solo, o relevo, o clima e os cuidados que cada um deveria ter para o sábado: o dia da prova, o momento para o qual todos estavam ali!
No sábado de manhã o clima era outro. A manhã era fria e o espírito de confraternização também havia dado lugar ao clima esportivo; todos centrados nos seus objetivos, alguns apresentando seus cavalos à equipe veterinária, outros preparando o local de apoio; os competidores da prova de 80 km já preparando seus cavalos para a largada.
E assim foi dada a largada, alguns atrás de superação, outros de vitórias e outros ainda querendo completar a prova para qualificar seus animais.
Dada a largada, chegamos ao ponto alto do nosso esporte, as trilhas, e que trilhas! Segundo disse Carlito (Carlos Eduardo Paes Leme) em 2016, “as melhores do Brasil, se não, as melhores do mundo”. Praticamente 90% do percurso dentro de um reflorestamento, com clima agradável, solo bom, trilhas planas e sem trânsito de veículos, um verdadeiro espetáculo para os competidores e seus cavalos!
Durante a prova sempre existe uma tensão para que tudo transcorra bem, mas no final, viva! Foi um sucesso e todos puderem completar suas provas.
No final do dia, novamente um momento de encontro, de premiações, hora de tomar um chope no Bierwit Restaurante e Choperia e nos despedirmos.
E os resultados desta segunda etapa foram os seguintes: CEN 80 km Sênior: Felizardo Costa Brandão com Eldarek (04:32:45 e 17,69 km/h); CENYR 80 km: João Pedro Bornia Antocheski com Macanhis Endurance (04:52:14 e 16,51 km/h); Livre Curta Adulto 60 km: Arthur Leonel Machado Ulsenheimer com RG Kniaz (03:30:35 e 17,81 km/h); Livre Curta Adulto 40 km: Rogério Nunes de Oliveira com Infinito do Rincão da Querência (Crioulo, 02:04:44 e 20,88 km/h); Graduado Adulto: Rosalina Cardoso Machado com Naomi CRH; Graduado Jovem: João Vitor Ferreira da Silva com Quirina do Bom Viver; Aberta Adulto: Dicézar Zonato com Kilate e Aberta Jovem: Isabelle T. Zonato com Cortez LM.
“No Paraná, quando chegamos somos recebidos como se estivéssemos visitando a fazenda de um amigo. O briefing é mais do que uma apresentação da prova, da trilha; é um encontro entre amigos, com churrasco e todos conversando sobre nosso amigo cavalo. Até comentei com a Silvia (Eguchi) que eu me lembrei das provas de anos atrás e gosto muito de fazer prova no Paraná e tenho o maior prazer de ir, pois me dá o prazer de montar, o prazer da trilha e o prazer da competição”, declarou Felizardo Brandão.
Hora de cada um voltar para sua casa e ficar com a saudade deste momento, uma saudade boa para querer estar novamente presente no dia 16 de fevereiro de 2019 na I Etapa do Campeonato Paranaense de Enduro Equestre na Cabanha Rio Bonito, do amigo Rui Demeterco, que sempre nos recebe de braços abertos por acreditar que o esporte ligado ao cavalo é um esporte saudável que une a família.
Afinal somos várias famílias que formam a grande família do Enduro!



Para o ano de 2019 estamos com quatro provas programadas. (16 de fevereiro; 08 de junho; 07 de setembro e, 07 de dezembro).
Vamos concentrar nossas provas na Região dos Campos Gerais (50 km distante de Curitiba), onde o clima nos permite fazer provas nos meses mais quentes do ano e onde o relevo é ótimo para o cavalo.
As provas acontecem praticamente dentro de reflorestamentos, com condições excepcionais para a prática do Enduro, já que as trilhas são praticamente exclusivas para os cavaleiros.
Podemos falar, com orgulho que, poucos Estados possuem essa condição de trilha e clima para o Enduro Equestre.

Marcelo Ulsenheimer e João Leonel Antocheski (Diretoria de Enduro FPrH). Photos: Ralf Andreas

 

HISTÓRICO

 


O que é o Enduro Equestre?

 

Palavra de origem inglesa, o Enduro (Endurance) se traduz como competição longa em que a velocidade deve se adequar à resistência. Seus fundamentos são simples e a prática proporciona uma interação do homem com o cavalo e dos dois com a natureza. A trilha impõe percursos que vão de 35 a 160 quilômetros. Atualmente, o Enduro é considerado o esporte equestre que mais cresce no mundo, marcando presença em 61 países e praticado por mais de 40 mil competidores.

As categorias

As competições de Enduro se dividem em duas modalidades: Velocidade Limitada e Velocidade Livre.

Velocidade Limitada – É a categoria onde se começa a prática do esporte. Os percursos vão de 15 a 60 km e a velocidade é determinada pelos organizadores da prova. Quem termina a prova dentro do tempo pré-determinado ou o mais próximo dele é o vencedor. No entanto, é imprescindível que o animal apresente batimento cardíaco baixo e boas condições físicas para o conjunto não ser eliminado.

As provas são divididas por etapas, também chamadas de anéis, e podem variar de 15 a 25 km entre um e outro. No final de cada etapa o animal passa pelo “vet-check” e só é liberado se apresentar condições de permanecer na trilha, caso contrário o conjunto é eliminado da competição.

Na Velocidade Limitada a mudança de categoria se caracteriza no aumento do percurso e velocidade.

Velocidade Livre – Nesta categoria a disputa é contra o relógio e as distâncias variam de 40 a 160 km. Condicionamentos físicos e emocionais são aliados que garantem cumprir a prova. Os “anéis” são distribuídos de 10 a 40 km e o animal só é liberado no “vet-check” se sua frequência cardíaca atingir o número de batimentos estipulados para cada categoria.

Bases históricas do Enduro Equestre

As corridas a cavalo por longas distâncias fazem parte da história do homem desde que estes animais foram domesticados. O Enduro que conhecemos hoje é resultado de uma evolução já quase bicentenária e seu precursor foi o “Pony Express”, correio americano a cavalo que entre 1860 e 1861 atravessava o os Estados Unidos de leste a oeste, entre Saint Joseh, no Missouri, e Sacramento, na Califórnia. Criado por William Russell, William Waddell e Alexander Magors, o “Pony Express” estabelecia postos onde os cavalos eram trocados em trechos que variavam de 10 a 15 milhas, enquanto os cavaleiros eram substituídos a cada 75 ou 100 milhas. Em 1883 o lendário Búffalo Bill criou um show que incluía uma prova de longa distância em homenagem ao “Pony Express”. Levado para a Europa, este show-competição acabou inspirando a criação das provas de resistência.